SOBRE

Conheça Manuela

Mãe da Laura, madrasta do Gui, Jornalista, mestra em Políticas Públicas. Manuela foi a vereadora mais votada e mais jovem de Porto Alegre, duas vezes Deputada Federal (RS) e Estadual pelo PCdoB. Autora de Revolução Laura, Por que lutamos? Um livro sobre amor e liberdade, e E Se Fosse Você? Sobrevivendo às redes de ódio e fake news. Conheça a sua trajetória em vídeo. 

Linha
do Tempo

Muita gente se pergunta quem é aquela menina de olhos amendoados e sorriso largo, que quase sempre anda acompanhada da filha de cinco anos – uma criança faceira de cabelos cacheados.

Essa “menina” tem 20 anos de militância e 14 anos de mandatos parlamentares. Essa “menina” quer tornar o Brasil, esse país maravilhoso, em um lugar digno para se viver. Essa “menina” vai batalhar por justiça social e pelos direitos de todas e todos. Essa “menina” vai lutar para que todas as crianças tenham tão boas condições de crescerem felizes como sua filha tem. Essa “menina” é Manuela d´Ávila.

Manuela d’Ávila é jornalista formada pela PUC-RS e mestra em Políticas Públicas pela UFRGS. Em 2004, foi eleita a vereadora mais jovem de Porto Alegre. E também foi a mais votada daquele pleito, com 9.498 votos. Elegeu-se deputada federal por dois mandatos, com recordes de votações (271.939 em 2006 e 482.590 em 2010), concorreu por duas vezes à prefeitura de Porto Alegre, sua cidade natal, foi deputada estadual do Rio Grande do Sul (2015-2019). Em 2018, concorreu a vice-presidência da República. É fundadora do Instituto E Se Fosse Você? , ong voltada para criação de conteúdo de combate à Fake News e ódio nas redes. É casada com o músico Duca Leindecker, pai de Laura, e madrasta do Guilherme.

Movimento estudantil

Manuela iniciou sua trajetória no movimento estudantil em 1999. Dois anos depois, em 2001, ingressou na política partidária pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Foi conselheira do Conselho Universitário da UFRGS, coordenadora do Centro de Estudantes de Ciências Sociais, já que Manu também cursou Ciência Social na Ufrgs. Também foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (2003), presidente estadual (2005) e diretora nacional da UJS (2002).

Confira: Manuela fala de sua trajetória no movimento estudantil

Vereadora de Porto Alegre – a chegada na Câmara

Manuela foi a vereadora mais votada e a mais jovem eleita da história da Câmara de Porto Alegre. A obtenção de 9498 votos foi motivo de grande alegria. Era o momento de ir à luta de uma forma nova.  Se a turma do movimento estudantil era movida pelo brilho nos olhos, na política, Manu enfrentaria muito preconceito por ser jovem. Lembrava Mário Benedetti: “Que falta aos jovens provar?”.

Lutou com poesia e tentou reverter os olhares tortos com trabalho. Liderou a bancada de seu partido e presidiu a comissão de Educação, Cultura e Esporte. Foi um lindo trabalho.

 

 

Meia entrada estudantil e combate a homofobia

Apresentou, entre outras propostas, o projeto de lei 9.989/06, sobre meia-entrada para estudantes, pauta defendida em campanha e plataforma da União Nacional dos Estudantes. A lei assegura aos estudantes o direito ao pagamento de meia-entrada em atividades culturais, esportivas e em cinemas. Também por proposição da Manu, foi incluída na lei orgânica de Porto Alegre a possibilidade dos estabelecimentos terem o seu alvará cassado quando reincidentes em manifestações de violência homofóbica. Saiba mais.

A frente em suas proposições

Projetos apresentados por Manu, que naquela época eram vistos com “cara feia”, ou como desnecessários, hoje , mais de uma década e meia depois, foram implementados. A exemplo da proposição de colocação de bicicletários em espaços públicos e a regulamentação de grafites em espaços públicos.

A internet como instrumento de transparência

Uma das premissas da relação entre Manu e seus eleitores sempre foi a transparência. Materiais com a prestação e contas de seus mandatos eram distribuídos periodicamente em gabinetes itinerantes, uma novidade apresentada na época. E o sucesso de Manuela nas redes é algo trabalhado desde seu primeiro mandato parlamentar. Ela é precursora no uso de internet como forma de diálogo e prestação de contas a seus eleitores. Hoje, é uma das principais figuras políticas atuante nas redes sociais, com mais de 2 milhões de seguidores.

Leia: Manuela é um fenômeno nas redes sociais.

Brasília e a Câmara Federal

Com dois anos de trabalho sólido e resultados positivos na Câmara de Vereadores, Manuela é convidada  a concorrer à deputada federal. Foi então que, em 2006, foi eleita a deputada mais votada do RS, com 271.939 votos. Foi a maior votação de uma mulher no Rio Grande do Sul e uma das maiores do país.

A chegada em Brasília

Com 25 anos, Manuela chega com alegria na Câmara, em Brasília, para representar o Rio Grande do Sul. É o início de uma trajetória que duraria oito anos.

A primeira vez na tribuna, a primeira sessão do congresso, o encontro com os gigantes da política e com muito daquilo que ela queria mudar… foram anos incríveis!

Logo viria a primeira vitória: a Lei do Estágio. Manuela garantiu aos estagiários  direito a férias, auxílio-transporte, entre outros benefícios, como relatora da matéria. Saiba mais. 

O início da luta pela aprovação do Estatuto da Juventude

Neste primeiro mandato, Manuela esteve à frente da Comissão de Esporte e lutou para chegar a 1% do PIB em investimentos para área. Também foi designada relatora do Estatuto da Juventude, uma lei que determina os direitos dos 51 milhões de jovens brasileiros, estabelecendo o que o Estado brasileiro deve garantir às pessoas de 15 a 29 anos e induzindo a criação de políticas públicas para essa população.  O projeto foi aprovado em 2011. Saiba mais: Estatuto da Juventude foi elaborado com 33% de participação popular.

A primeira disputa à prefeitura

Em 2008, foi candidata à prefeitura de Porto Alegre, sua terra natal. Enfrenta em sua primeira disputa para majoritária uma máquina eleitoral poderosa, galgada por muitos interesses econômicos. Acaba perdendo a eleição, mas ganhando mais conhecimento para seguir sua trajetória.

 

Manuela bate seu próprio recorde de votação

Manuela foi eleita em 2010 a deputada federal mais votada da história do Rio Grande do Sul, com quase meio milhão de votos, e a deputada mais votada do Brasil.

Uma deputada representante da população

Além de ter sido relatora da Lei dos Estágios, do Estatuto da Juventude e do Vale-Cultura, Manuela foi presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, vice-presidente da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. Integrou a Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade na Internet e a Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT.

Eleita por unanimidade, foi vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados. Foi, ainda, vice-líder do governo no Congresso e coordenadora da bancada gaúcha.

Em 2012, concorreu à prefeitura de Porto Alegre e ficou em segundo lugar.

Em 2013, Manuela foi escolhida como líder da bancada do PCdoB na Câmara dos Deputados. Manuela realizou dois mandatos dedicados ao desenvolvimento do país, reconhecidos no Brasil e na América Latina pela defesa dos interesses da juventude, dos trabalhadores e das mulheres.

Deputada Estadual

Depois de um ano de muito trabalho e embates, Manuela tem certeza que é hora de mudar o rumo. Decide voltar para perto de sua cidade, dos movimentos sociais e das pessoas que ama. Em 2014, foi eleita a deputada estadual mais votada do RS, com 222.436 votos. Integra as comissões de Constituição e Justiça; Cidadania e Direitos Humanos; Assuntos Municipais; Segurança e Serviços Públicos; Mista Permanente de Participação Legislativa Popular; e Mista Permanente do Mercosul e Assuntos Internacionais.

Confira: Mais uma vez, a mais votada

Maior número de projetos apresentados

Manuela é a deputada que mais protocolou projetos na AL-RS, principalmente nas áreas de educação, juventude, mulheres, saúde e em prol da população LGBT. Deu visibilidade às necessidades e problemas enfrentados pelas mulheres mães. Junto com o colega Luís Fernando Mainardi (PT), foi autora da lei que garante que nenhum dos estabelecimentos possa impedir que uma mãe amamente seu filho em suas dependências. Outra bandeira de luta de Manuela na Assembleia foi pelo direito à moradia digna e contra os despejos forçados.

Dedicação à filha Laura

Com a filha de apenas cinco meses, Manuela anuncia em 2016 que não vai concorrer à prefeitura de Porto Alegre pela terceira vez, mesmo sendo a favorita nas pesquisas, para dedicar-se à filha.

Coerência: “Não adiantaria lutar pelo desenvolvimento de nossos bebês e não fazer valer a minha luta para minha própria filha! Mais do que com teorias, é com a Nossa prática que mudamos a realidade”. Confira.

Com apenas quatro meses de licença maternidade, Manuela volta aos trabalhos e para garantir à amamentação exclusiva à filha por diversas vezes amamenta a bebê durante o trabalho, o que acabou virando notícia no mundo inteiro.

Por que a foto de uma deputada amamentando se espalhou pelo mundo? Confira.

Foco no Brasil: Manuela inicia a pré-campanha à presidência

No final de novembro do ano passado, o PCdoB lançou Manuela como pré-candidata à presidência da república apontando a construção de uma saída da crise que  o Brasil enfrenta. Desde que foi colocada, em 18 de novembro, sempre defendeu a unidade do campo político de esquerda. 

Manuela vice-presidente de Haddad

No início de agosto, Manuela se tornou vice na chapa de Haddad. O PCdoB fixou como estratégia eleitoral de conquistar a vitória das forças progressistas nas eleições presidenciais. Coerente com esse objetivo, buscou viabilizar a perspectiva de uma frente ampla, a partir da unidade da esquerda. Inviabilizada a unidade mais ampla dos partidos de esquerda, na reta final do prazo legal para definições, o PCdoB e o PT, conjuntamente, persistiram na busca de uma aliança. A chapa chegou ao segundo turno das eleições presidenciais, espalhando esperança por onde passava.

Durante a campanha, Manuela andou pelos quatro cantos do país , quase sempre na companhia da filha Laura, de 3 anos, por acreditar que as mulheres mães devem sim ocupar espaços de poder e, para isso, muitas vezes, é necessário que os filhos estejam por perto.

Na luta da resistência

Passadas as eleições presidenciais, Manuela segue na luta em defesa dos brasileiros e brasileiras e de um país desenvolvido.

SAIBA MAIS

Veja a trajetória de Miguel Rossetto

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram