A PORTO ALEGRE QUE QUEREMOS

Saúde Bairro a Bairro em Porto Alegre

Saúde Bairro a Bairro 

Propostas 

  • Queremos construir a Saúde Bairro a Bairro 

Reorganizar a gestão da saúde municipal para garantir que todos os bairros da cidade  sejam atendidos pela ESF (Estratégia de Saúde da Família), com descentralização e  gestão intersetorial nos territórios e distritos sanitários da cidade. Buscaremos construir  as Unidades de Atenção Básica de Saúde Populares como centros de convivência

comunitária com participação na gestão, controle social e articulados com a proteção  social;

  • Ampliar para 80% a cobertura da Estratégia da Saúde da Família (atingindo 100%  das populações mais desprotegidas), com a valorização da inteligência construída com a  atuação do IMESF e a reorganização das equipes atuais e ampliar no mínimo mais 51  equipes completas. As equipes trabalharão com busca ativa e controle epidemiológico,  com vista à redução da fragilidade social e elevação da qualidade de vida;
  • Os postos fechados deverão ser reavaliados e, na medida do possível, reabertos,  garantindo assim que todos os bairros da cidade tenham cobertura integral da ESF;
  • O nosso governo defenderá a manutenção do atual quadro técnico do IMESF e, a partir  desta experiência, atuará para pela ampliação e qualificação da cobertura da ESF sob  responsabilidade pública;
  • Articular e consolidar as linhas de cuidado com o objetivo de promover um novo  modelo de gestão e de atenção, com vistas à garantia à saúde integral para as mulheres,  criança e adolescente, idoso, população negra, povos indígenas, pessoas com  deficiência, população LGBTQIA+, entre outros;
  • Fortalecer a vigilância epidemiológica das doenças nos territórios e nos espaços de  trabalho e circulação, testando todas as pessoas com quadro clínico sugestivo de  doenças respiratórias e demais doenças infectocontagiosas;
  • Organizar ações de prevenção, testagem, rastreio e isolamento dos casos  identificados da Covid-19 a partir das equipes da ESF em coordenação com a vigilância  epidemiológica nos serviços, territórios e domicílios;
  • Garantir o atendimento integral aos problemas de saúde bucal, expandindo os serviços  especializados em odontologia;
  • Recomposição dos Núcleos de Atenção à Saúde da Família (NASF’s), para o  matriciamento dos atendimentos;
  • Fortalecer os Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS) e rede de proteção  psicossocial, efetivando da capacitação permanente da equipe multiprofissional dessas  unidades, articulando-os com as UBS;
  • Medicamento mais perto da casa: ampliar as farmácias distritais;
  • Valorização da produção do conhecimento multidisciplinar que é produzida desde a  atenção básica até as universidades e hospitais escolas;
  • SAMU: Reestruturar as equipes do SAMU, visando um maior acesso e tempos adequados de atendimento e qualidade do serviço, com o fortalecimento da regulação  integral dos caminhos dos pacientes nas urgências na cidade;
  • Maternidade no Hospital da Restinga: Propomos a retomada do projeto original e a  criação da maternidade, no Hospital da Restinga para atender a população dos bairros  Restinga, Lomba do Pinheiro, Pitinga, Agronomia e Leste;
  • Atenção Hospitalar e em Urgências: A gestão municipal pactuará com os Hospitais  maior colaboração na prestação de serviços e na responsabilidade com as ações da  Atenção Básica e Especializada, centrado nos pacientes e seus familiares;
  • HPS e HMIPV: para solucionar o problema de gestão dos hospitais públicos de nossa  cidade vamos construir um modelo de gestão focado na prestação de serviços, ágil,  dotado de autonomia administrativa, financeira e patrimonial e com quadro pessoal  próprio. Um modelo que assegure a prevalência do interesse da população na garantia  de seu direito à saúde;
  • Reorganizar o atendimento das especialidades (consultas e exames), ampliando a  oferta de especialidades médicas na rede do SUS, dinamizando a oferta, e zerando  gradualmente a fila de espera. Mutirão para diminuir a fila de espera e garantir a  meta de menos de 30 dias em prioridades e 90 dias em casos gerais;
  • Agendamento online de consulta: ampliar a cobertura de 100% do tele-agendamento  em todas as unidades de saúde; garantir a internet livre nas unidades de saúde para  acessos pelos usuários; e ampliar as equipes de tele-agendamento para qualificar a  relação entre o sistema e os usuários;
  • Política da Saúde da Mulher: integração das ações e serviços de saúde voltados à  atenção da integral da saúde da mulher, dando atenção para as questões psicológicas,  sociais, biológicas, reprodutivas, ambientais e culturais que envolvem essa estratégia.  Ampliar o acesso aos meios e serviços de promoção, prevenção, assistência e  recuperação da saúde em todo território e contribuir para a redução da morbidade e  mortalidade feminina, especialmente por causas evitáveis.
5 3 votos
Qual sua nota para o conteúdo?

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

O que você pensa sobre isso?

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Opinar também:

0
Adoraria saber seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x